30/03/2023 às 17h49min - Atualizada em 30/03/2023 às 17h49min

Azuaite condena violência e conclama religiosos, educadores e famílias a se articularem para construir espaços de paz

O vereador ressaltou que compete à sociedade começar a desfazer as contradições entre o que as pessoas fazem e a consciência que têm de si mesmas.

Azuaite condena violência e conclama religiosos, educadores e famílias a se articularem para construir espaços de paz
A propósito dos recentes episódios de violência em São Carlos e no país, o vereador Azuaite Martins de França fez um pronunciamento na Câmara Municipal na última sessão plenária, em que condenou “a cultura do ódio que se alastra” e conclamou a sociedade a “se articular para construir espaços de paz”.

“Padres, pastores, professores e famílias têm que sair da zona de conforto para, unidos, combaterem a barbárie, pregarem a paz com militância, para afastar o ódio dos corações, das ações e das manifestações das pessoas”, declarou.

O vereador apontou o ódio como a verdadeira motivação do assassinato de um funcionário do SAAE por um colega que usou uma retrosecavadeira, a morte de motoqueiros que participavam de uma festa beneficente, o atentado à bomba contra um inspetor de aluno por um jovem que teve a briga apartada dias antes, a atitude de um torcedor que usou como escudo a filha de três anos para invadir um estádio no Rio Grande do Sul para agredir um jogador do time adversário, e do aluno de 13 anos que assassinou a professora Elizabeth Tenreiro, de 71 anos, na escola Thomazia Montoro, em São Paulo.

“Essas e outras manifestações são frutos de uma sociedade esgarçada em seus valores e em seus costumes”, analisou o vereador. “Toda violência é uma forma de covardia, manifestação do complexo de inferioridade de quem, destituído de maiores predicados intelectuais e bom relacionamento, busca exibir-se na vitrine do ego, em busca de aplauso, de fama; o homem violento é um prisioneiro de seu destino mitológico de Narciso e apaixona se por si mesmo”, acrescentou.

Depois de observar que o violento é “avesso ao diálogo, não admite ser suplantado no plano das ideias e um fraco que necessita de armas porque lhe falta cérebro”, também  ponderou que tal indivíduo é “um doente cujos sintomas são supremacismo, individualismo”,  individualismo exacerbado excludência impulsividade exibicionismo, intolerância e preconceito”.

Para Azuaite, “quanto mais hoje os justos optam pelo silêncio, tanto mais doente se torna a sociedade”. A seu ver, “à cultura do ódio deve se contrapor a cultura da paz; não basta se declarar contra o ódio e a violência, é preciso combatê-la, é preciso ser militante da paz”.

O vereador ressaltou que compete à sociedade começar a desfazer as contradições entre o que as pessoas fazem e a consciência que têm de si mesmas. “De que adianta alguém frequentar igreja, louvar a Deus, dizer-se cristão, mas destilar o ódio nas redes sociais, humilhar o próximo e justificar suas ações injustificáveis como o armamentismo, o genocídio e o preconceito?”

“As pessoas estão envenenadas pelo ódio e há muitas morrendo vitimadas pela intolerância e por esse ódio. Será que não temos possibilidade de salvar essas pessoas e dar um paradeiro na barbárie?” indagou, para em seguida pregar a articulação da sociedade em favor da paz.

“Famílias, religiosos, educadores, pessoas de bom senso, articulem-se para construir um território de paz. Estamos chocando o ovo da serpente, a barbárie avança a passos largos”, advertiu, ao considerar temerário que as pessoas não venham tendo consciência do que fazem e tendem a naturalizar o ódio.

Ao finalizar, observou que a humanidade já passou por momentos assim em diversos momentos históricos, como na idade média e no século passado, e relembrou que nos anos 1980, quando era vereador e impediu que a Praça Coronel Salles passasse para a história como palco da queima de livros didáticos em função do radicalismo e intolerância.

“A história existe para ensinar, mas aqueles que abominam a história se rebelam contra os livros que são portadores das ideias mais profundas, pois eles próprios constroem suas falsas ideias, dogmas e superstições”, concluiu.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://saocarlosdiaenoite.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp