01/08/2017 às 19h16min - Atualizada em 01/08/2017 às 19h16min

Roselei quer audiência pública para discutir situação de serviços de cuidados à saúde mental

O vereador reuniu-se nesta terça-feira (1) com representantes do Fórum Intersetorial que discute as políticas públicas para o setor em São Carlos NASF

O vereador Roselei Françoso (Rede) apresentou requerimento à presidência da Câmara  para a realização de uma audiência pública na Casa – agendada para o próximo dia 21, às 15 horas, para discutir a situação dos serviços de cuidado à saúde mental no município. O vereador reuniu-se nesta terça-feira (1) com representantes do Fórum Intersetorial que discute as políticas públicas para o setor em São Carlos. A reunião contou também com presenças de usuários dos serviços.

Soraya Mattar Gonçalves, Agente Psicóloga da Defensoria Pública, representante do Fórum, fez uso da tribuna livre durante a sessão legislativa para defender a garantia da efetivação da rede de atenção no município e a inclusão de demandas no Plano Plurianual (PPA), que estabelece um conjunto das políticas públicas do governo municipal para um período de 4 anos. Também se pronunciou uma representante do CAPS (Centro de Atenção Psicossocial).

No requerimento, Roselei pondera que a rede de saúde mental pode ser constituída por vários dispositivos assistenciais que possibilitem a atenção psicossocial aos pacientes com transtornos mentais, segundo critérios populacionais e demandas dos municípios. Esta rede pode contar com ações de saúde mental na atenção básica, Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), serviços residenciais terapêuticos (SRT), leitos em hospitais gerais, ambulatórios, bem como com o Programa de Volta para Casa. “Ela deve funcionar de forma articulada, tendo os CAPS como serviços estratégicos na organização de sua porta de entrada e de sua regulação”, observa.

RECLAMAÇÕES - As  ações de Saúde Mental na atenção básica podem ser organizadas por meio dos NASF (Núcleo de Apoio à Saúde da Família), conforme a Portaria Nº 154/08, que recomenda que cada NASF conte com pelo menos um profissional de saúde mental, para realizar as ações de matriciamento que visam potencializar as equipes de saúde da família.

Roselei informa que vem recebendo diariamente reclamações a respeito da carência desse serviço de forma mais abrangente e cuidadosa com os pacientes e famílias.

“Nesse diapasão e diante de tantas possibilidades de melhoria, a assistência à saúde mental no Município de São Carlos pode e deve receber especial atenção, pois o tema requer e os números de usuários crescem anualmente”, afirma o parlamentar, ao pleitear a realização de uma audiência pública.

Conforme a solicitação encaminhada, Roselei propõe que participem do evento, representantes da Secretaria Municipal de Saúde e setores competentes (CAPS e outros), além de representantes da Prefeitura, Conselho Municipal de Saúde, Ministério Público do Estado de São Paulo, Defensoria Pública e Fórum de Saúde Mental de São Carlos (CAPS II).


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://saocarlosdiaenoite.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp