24/02/2017 às 23h43min - Atualizada em 24/02/2017 às 23h43min

Metalúrgicos de São Carlos mobilizam categoria contra Reforma da Previdência

A ação, que faz parte da campanha “Reaja ou Sua Aposentadoria acaba aqui” Reaja

Durante toda a semana, os Metalúrgicos de São Carlos realizaram assembleias de mobilização e protesto, nas portas das fábricas contra os projetos de reforma da Previdência e da legislação trabalhista, que tramitam no Congresso Nacional. A ação, que faz parte da campanha “Reaja ou Sua Aposentadoria acaba aqui”, encabeçada pela CNM/CUT (Confederação Nacional dos Metalúrgicos da CUT), tem agenda unificada de mobilização da categoria, e acontece simultaneamente em todo o país.

Dentre os principais pontos das reformas propostas, a da Previdência estabelece idade mínima de 65 anos para a aposentadoria e tempo mínimo de contribuição de 25 anos, para conseguir o benefício integral será preciso ficar no mercado por 49 anos; praticamente acaba com a aposentadoria especial para quem exerce atividades insalubres ou perigosas; vai deixar as pensões com valores inferiores ao salário mínimo. Já a reforma trabalhista mexe na jornada de trabalho, muda os contratos de trabalho, generaliza a terceirização, defende o negociado sobre o legislado.

Erick Silva enfatizou nas portas das fábricas que os trabalhadores do Brasil precisam acordar. “Não se trata de ser contra ou a favor de um ou outro governo ou partido, e sim do empobrecimento dos trabalhadores, precarização do trabalho e do fim da aposentadoria e de todas as proteções mínimas ao povo brasileiro. Com o risco que corremos agora, se não reagirmos com toda nossa capacidade de luta, as próximas gerações, nossos filhos e netos viverão pior que nós; irão trabalhar mais, por mais tempo, ganhando menos, e sem proteção alguma”,  explicou o presidente do Sindicato.

Trabalhadoras e trabalhadores na Tecumseh, Volkswagen, Electrolux e Smalte atrasaram a entrada de todos os turnos e ouviram os dirigentes sindicais explicarem ponto a ponto as propostas, quais seus impactos e porque representam retrocesso e perdas de direitos. Nas demais empresas da base metalúrgica, a direção da entidade está veiculando carros de som, alertando sobre o tema. O objetivo é levar o máximo de informações para que os trabalhadores saibam quais são os direitos que correm o risco de desaparecer.

Os materiais entregues à categoria e as assembleias esclarecem o teor da proposta do Governo Federal, e os trabalhadores têm entendido o quanto os brasileiros serão prejudicados. “As reformas nos colocam a urgência da organização para enfrentar todas essas ameaças. Elas estão aí, vindo em ritmo acelerado. Por isso é necessária a participação de todos nesta campanha, sem contar na pressão que temos que fazer nos deputados, principalmente os da nossa região, para que não votem contra a classe trabalhadora””, destacou o secretário geral do Sindicato, Ronaldo Lopes.

Mobilização chegará à sociedade - No dia 09/03, às 16 horas, na Sede do Sindicato dos Metalúrgicos, será realizado um ato político que reunirá lideranças sindicais, religiosas, e da sociedade em geral da cidade e região; que somarão forças ao grande ato que os Metalúrgicos estão organizando para o dia 18/03, no centro de São Carlos. A finalidade é alertar e envolver a sociedade nesta luta.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://saocarlosdiaenoite.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp