24/09/2013 às 00h14min - Atualizada em 24/09/2013 às 00h14min

Mulher que atacou presidente da Câmara é liberada após registro de lesão corporal

Foi registrado um termo circunstanciado de lesão corporal, acusada estava passando por tratamento segundo o parlamentar

A mulher que atacou na tarde desta segunda-feira (23) o presidente da Câmara Municipal de São Carlos, vereador Marquinho Amaral, foi autuada pelo crime de lesão corporal e liberada para a família. De acordo com parentes a mulher apresenta um desequilíbrio emocional e estaria fazendo uso de medicamentos.

Uma irmã disse que a agressora está separada há cinco anos e tem dois filhos de 10 e 14 anos. Após ser detida ela gritava que queria matar o parlamentar porque ele teria sido responsável pela morte do seu pai. A irmã desmentiu isso, ela disse que o pai delas morreu há 17 anos e de causas naturais.

Refeito do susto, Marquinho Amaral falou com a imprensa  e disse que o seu anjo da guarda estava com ele. O parlamentar informou que a mulher é paciente do Centro de Atendimento Psicossocial (Caps), inclusive com solicitação judicial para internação. "O que nos resta é rezar para que ela encontre o equilíbrio", afirmou.

Marquinho revelou ainda que em abril de 2011 a agressora chegou a registrar um Boletim de Ocorrência contra o vereador e o atual prefeito de São Carlos, Paulo Altomani, sob a alegação de que ambos colocaram um som na casa dela. "O Altomani não era o prefeito e não era ano eleitoral. Não entendo essa obsessão. Quero crer que foi um ato impensado e torço para que ela supere esses problemas", disse Amaral.

Sobre possíveis mudanças no esquema de segurança no prédio da Câmara Municipal, Marquinho reconheceu que é necessário estudar mecanismos de disciplinar o acesso. "Vamos discutir esse assunto com a Mesa Diretora. Os poderes têm de ter o livre acesso do cidadão, mas também não podemos admitir que uma pessoa circule pelo Legislativo armada, colocando em risco a vida não só dos vereadores, mas dos funcionários e de outras pessoas que circulam diariamente no prédio", explicou. A acusada antes de atacar o vereador do lado de fora da Câmara chegou a subir até o gabinete de Amaral.

O delegado seccional da Polícia Civil de São Carlos, Rogério Fakhani Vita, explicou que houve o registro de um Termo Circunstanciado de lesão corporal contra a acusada e se condenada ela deverá prestar serviços a comunidade ou ser penalizada com multa.

Notícias relacionadas:

Marquinho Amaral diz não conhecer mulher que tentou esfaqueá-lo em frente à Câmara

Mulher é detida ao tentar esfaquear vereador Marquinho Amaral


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://saocarlosdiaenoite.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp